“Eles ainda ganham pra isso” – O valor da Arte

Fiquei muito feliz, mesmo, com a Bienal RJ. Muita gente interessada em leitura, interessada em conhecer novos autores, novas histórias…

Porém, a gente sempre acaba encontrando um lado negativo. Foi o que aconteceu comigo. Escutei um pai conversando com a filha perto do estande onde eu estava.

– Nossa, quanto livro, né, pai?

– É, e eles ainda ganham pra isso…

Obviamente, devia se tratar de uma pessoa que não lia, pois quem lê e dá valor ao conhecimento sabe que escrever um livro não é nada fácil. Também não sabia nada sobre o mercado editorial no Brasil: a dificuldade em se conseguir uma editora e quanto dinheiro um autor recebe por livro vendido. De modo geral, para quem não sabe, um autor leva, em média de 5 a 10% do preço do livro. Sim, a pessoa que escreveu. Certamente, você tem que vender muito livro para se sustentar só com isso. Não é o meu caso.

Esta é uma reclamação clichê dos artistas de qualquer meio no Brasil. “Ninguém dá valor à arte”. Mas a arte que estamos fazendo realmente está valendo tudo o que poderia?

É com certa tristeza que vejo a minha geração encontrando seu espaço no sistema. Um sistema que todos sabemos ser injusto, que beneficia poucos. Achava que a minha geração encontraria uma saída para ele. Torna-lo mais justo ou criar outro melhor. Porém, muito do que vejo são pessoas preocupadas em encontrar somente o seu lugar ao sol. Não dá pra julgar, é claro. Não é por menos que as pessoas estão preocupadas, o sistema é feroz e ninguém quer ser o último da fila.

Mas a função de mudar o sistema e melhorar as relações entre as pessoas é justamente da arte. E estamos realmente fazendo uma arte com conteúdo? Arte que traga novos conhecimentos e indagações para as pessoas? Ou estamos apenas sendo mais uma parte do sistema, escrevendo exatamente o que o mercado quer comprar?

Não acho que o cinema seja apenas a companhia da pipoca, é uma arte. E, sinceramente, desisti de ver vários filmes ao assistir o trailer, pois aquelas histórias todas eu já havia visto com outro nome. O mesmo acontece na literatura.

Se não querermos ser vistos como aproveitadores pela sociedade, também devemos fazer o nosso papel.

 

André Cardinali

Anúncios

Uma resposta

  1. Acho que devemos lembrar que não apenas na arte isso acontece. Quantas e tantas vezes tantas profissões foram desmerecidas por uma sociedade que parecer não ter mais juízo e na pior das hipóteses, princípios.
    Precisa comentar dos salários dos professores? Da insegurança? Da falta de postura dos pais que de alguma forma foram ausentes a seu filho, levando-o a segurar uma arma contra uma professora? Isso é um absurdo!
    Educar é arte. Trabalhar é arte. E como tal todos estão sendo desvalorizados.

    Se um pai tem a coragem de dizer isso a uma filha, oq será desta menina? Se ela cometer alguma infração a culpa certamente será dela perante a sociedade, mas será que é mesmo??

    Acho que todos de uma forma ou outra devemos pensar no que valorizar e respeitar. Reaver conceitos e jamais ficar calado perante a injustiça e impunidade. Acho que você deveria abordar este pai. E dizer o que você agora expõe.

    É isso! Sucesso com o livro e vamos atingi-lo uma hora! 😉

    beijos de uma profissional tb desvalorizada!

    2 de outubro de 2011 às 21:42

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s