Minha linha literária e próximos livros

Cada autor tem uma forma de escrever. Isso inclui os temas que aborda, como aborda e a escrita em si, o ritmo, as palavras, os tempos verbais, a pessoa que narra etc.

Estou começando a minha jornada literária, mas pelas ideias que tenho na cabeça, já consigo traçar mais ou menos o meu estilo para os leitores saberem o que esperar de mim.

A primeira certeza que tenho sobre esse assunto é que meu gênero literário é o suspense. Posso me aventurar em um ou outro gênero, mas esse, definitivamente, é o que mais gosto e, talvez, o que melhor escreva. Além disso, meus temas prediletos são discussões sobre o sentido da vida. Acho que esse é o tema mais importante do mundo, afinal, estamos no mundo, mas o porquê disso não é muito claro. Para mim, essa resposta é fundamental para saber que tipo de vida quero levar. Existem muitos aspectos que devem ser enfocados na busca dessa resposta e esses vão ser os temas dos meus livros. Pelo menos, foi o de Estátuas de Sal e será o do próximo, Os Vigias.

Não tenho vontade de escrever livros em sequência. Acho que a ideia funciona muito melhor se passada em um único volume. Porém, sou a favor de uma continuação não de plot, mas de argumentação. Os Vigias não tem absolutamente nada a ver com a história de Estátuas de Sal, mas ele continua a argumentação que quero passar exatamente do ponto em que Estátuas parou.

Os Vigias também será um suspense bem tenso e cheio de pesquisa. Tenho dito que Estátuas de Sal teve muita pesquisa para ser desenvolvido, mas Os Vigias terá muito mais. Uma trama ainda mais complicada. Estes elementos, com certeza, fazem parte do meu estilo e são coisas que se pode esperar de mim nos próximos livros.

Um outro elemento que destaco e que foi bastante comentado, foi a linguagem bastante coloquial dos personagens. Muita gente não gosta, mas é algo que faço questão. Se eu padronizar a fala de todos com o português correto, existe muita perda de informação, como emoção, verossimilhança e, principalmente, personalidade. O jeito como a pessoa fala diz muito sobre onde e quando ela nasceu, nível de escolaridade, classe social, se é agressiva ou pacífica, entre milhões de outras coisas. Por isso, sou a favor de uma linguagem específica para cada personagem, pois cada pessoa fala de um jeito. Se vocês prestarem atenção, em Estátuas mesmo a fala dos personagens diz muito sobre eles. É uma pista para resolver enigmas. #ficaadica! uahuhauhau

Abraços!

André Cardinali

Anúncios

2 Respostas

  1. Gosto disso, André: vc tem planos, objetivos. Não tá de brincadeira!

    13 de maio de 2011 às 19:37

  2. Que legal! Bom, ainda não tive a oportunidade de ler Estátuas de sal, mas vou me mover da preguiça aqui e ir na livraria. Gosto do gênero e acho que cada autor tem que escrever sim do seu próprio modo!
    Aguardando o próximo livro!
    Beijos.

    9 de maio de 2011 às 9:47

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s